Por um só Homem-II – O Antídoto

I João 1: 7.

Se, porém, andarmos na luz, como Ele está na luz, mantemos comunhão uns com os outros, e osangue de Jesus, Seu Filho, nos purifica de todo pecado”.

Fizemos recentemente uma pequena alegoria, com um paralelo entre o Coronavírus e o “coronapecado”.

Há algumas semelhanças que devem ser destacadas, como: 1- Início da epidemia (já pandemia), por um só Homem. 2- Em pouco tempo já tomou conta do mundo, fazendo parar os mais diversos tipos de empresas, metrôs, ônibus, aeroportos, etc. 3- Não há cura para nenhum dos dois casos, por vias naturais. 4- As consequências levam até à morte.

Sem dúvidas existem ainda outras semelhanças. Quero, entretanto, refletir sobre o item três. Não há cura para nenhum dos dois vírus, por vias naturais. Porque não existe ainda vacina para nenhum deles. Não há nada que o homem possa fazer para evitar o contágio, a multiplicação de casos e que chegue a todos os países do mundo e a todas as pessoas. No caso do coronavírus, é uma questão de tempo. Já no caso do “coronapecado”, já nascemos contagiados.

Paulo em sua carta aos Romanos escreve: “Pois todos pecaram e carecem da glória de DEUS”. Romanos 3: 23. Mais adiante afirma: “Porque o salário do pecado é a morte…”. Romanos 6: 23 (Primeira parte). O “coronapecado” é mortal. Não há como escapar. Todos, sem exceção, fomos contaminados geneticamente; já nascemos com ele. Somos egoístas e maus por natureza. Ninguém é melhor que ninguém; e ninguém pode escapar dos seus resultados nefastos: Dor, sofrimento, envelhecimento e morte. Não fosse pelo pecado, a vida seria eterna e isenta de qualquer sofrimento.

Para entender o “coronapecado” como um vírus nefasto e sem solução humana, precisamos entender sua origem, consequências e qual a única fonte de cura.

  1. O que é o pecado?

Todo aquele que pratica o pecado também transgride a lei, porque pecado é a transgressão”. I João 3: 4.

  • Qual a origem do pecado?

Tu eras querubim da guarda ungido, e te estabeleci; permanecias no monte santo de DEUS, no brilho das pedras andavas. Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado até que se achou iniquidade em ti… Elevou-se o teu coração por causa da tua formosura, corrompeste a tua sabedoria por causa do teu resplendor; lancei-te por terra, diante dos reis te pus, para que te contemplem”. Ezequiel 28: 14, 15 e 17.

Como caíste do céu, ó estrela da manhã, filho da alva! Tu que debilitavas as nações! Tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu; acima das estrelas de DEUS exaltarei o meu trono e no monte da congregação me assentarei, nas extremidades do norte; subirei acima das mais altas nuvens e serei semelhante ao Altíssimo”. Isaias 14: 12 a 14.

E foi expulso o grande dragão, a antiga serpente, que se chama diabo e Satanás, o sedutor de todo o mundo, sim, foi atirado para a terra, e, com ele, os seus anjos”. Apocalipse 12: 9. (Ver de 7-9).

Vendo a mulher que a árvore era boa para se comer, agradável aos olhos e árvore desejável para dar entendimento, tomou-lhe do fruto e comeu e deu também ao marido, e ele comeu. Abriram-se, então, os olhos de ambos; e, percebendo que estavam nus, coseram folhas de figueira e fizeram cintas para si”. Gênesis 3: 6 e 7.

  • Qual a única fonte de salvação para os contaminados pelo “coronapecado”?

E não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos”. Atos 4: 12.

O pecado em si é uma decisão. A primeira decisão errada aconteceu no céu, por um querubim. Um anjo do mais elevado escalão. Poderoso e com uma influência indescritível sobre os demais anjos. Por se considerar superior e merecedor da condição de ser um deus. Iniciou um motim, levando a terça parte dos anjos de DEUS a segui-lo. Miguel (Jesus, antes de Sua encarnação), comandante supremo dos exércitos celestiais, o enfrentou e o expulsou do céu. (Apocalipse 12: 7-9). Este anjo colocou dúvidas quanto ao caráter, o governo e a lei de DEUS. Ele não poderia ser destruído antes que o próprio DEUS provasse a todo o universo que estas acusações eram falsas. Esse anjo expôs seu verdadeiro caráter, ao matar o Filho de DEUS, na cruz do calvário, há quase dois mil anos atrás. A questão principal é, enquanto o inimigo de DEUS matava Seu Filho, ao mesmo tempo assinava sua derrota total. Ele impôs todo sofrimento, toda dor possível através dos instrumentos de tortura da época, para fazer o Filho de DEUS transgredir a Lei, ou desistir do propósito de salvar a humanidade perdida, contaminada pelo pecado. Mas não conseguiu. Ele venceu. “Antes, a Si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana, a Si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até à morte e morte de cruz”. Filipenses 2: 7 e 8. (Ver de 5 ao 11).

A vitória de Jesus sobre o inimigo, e sobre o pecado, consistiu não apenas no fato de ter morrido no nosso lugar, de ter pagado o preço dos nossos pecados por nós, mas por ter morrido sem transgredir a Lei. Foi isto que tornou Seu sacrifício aceitável conforme a justiça divina. Ele não poderia jamais abolir sua Lei; seria o mesmo que admitir que Satanás tivesse razão em todas as suas acusações contra DEUS. Não poderia alterar Sua Lei, do contrário a acusação de injusto e parcial pesaria sobre o nome e o caráter de DEUS diante do universo. DEUS perderia Sua autoridade e o mal prevaleceria. Jesus reivindicou Sua autoridade como DEUS Justo e Fiel. Ele aceitou o desafio de pagar o preço no lugar do homem e provou ser capaz de nos representar diante do trono do universo. Portanto, se queremos ficar curados do pecado e receber de volta o que nossos primeiros pais perderam, só há uma alternativa, aceitar a oferta de Jesus: Ser lavado e purificado pelo antídoto do “coronapecado”. O sangue de Jesus. Atos 16: 30 e 31. “Crê no SENHOR Jesus e serás salvo…”.

Por Lindomar J. M. Spíndola Rodrigues do Sobral Pop News

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *